Monday, June 6, 2011

Wer bist du?

Já perdi a conta às vezes que escrevi sobre o vazio que sinto...
Perdi também a conta às vezes que tentei fugir a isso...

Não sei o que se passa na minha cabeça...
O sentimento corrói-me o peito, mas está tudo cá dentro, na minha cabeça...
Sempre que alguma coisa me desilude volto a construir um muro em minha volta
Fecho-me ainda mais, num vazio ainda maior,
onde só eu posso entrar e dificilmente consigo sair...

Que mundo estranho criei eu para lidar com o que me rodeia...

Porque sinto eu a dor dos outros e abafo a minha?
Porque não consigo exorcizar os meus fantasmas?

Porque razão, sempre que fecho os olhos te vejo a ti, a chorar?
Que se passa cá dentro que não consigo libertar-me de certos sonhos?

Não é que sejam maus ou cruéis, mas ultimamente vejo-te sempre a ti...
E falas-me... E aproximas-te, mas eu não te consigo ouvir... Apenas sinto o teu toque... E apertas-me as mãos e puxas-me e tudo o que sinto é a tua dor...
Na minha mente criou-se um elo que não sou capaz de quebrar... Ou não quero quebrar...
Não sei dizer ao certo o que sinto...

As tuas lágrimas pesam-me desde o dia em que te conheci...
E eu não sei o que fazer com isso...


É tão estranho falar assim de alguém que mal conheço
mas que, de alguma forma, me marcou...

... Apetecia-me dizer-te tudo, mas não posso...
.

2 comments:

Popper said...

A qualidade de sempre. Parabéns, Countess.
Bjo.
ATENÇãO: Viste a dragona de Matosinhos? Tipa fixe, né?

h. aires said...

not bad at all