Thursday, July 19, 2007

A Verdade do Desejo


« A verdade do desejo é a única que não mente »

Um turbilhão de sentimentos invade-me a alma sem que eu consiga entender pelo menos um deles. Não os consigo agarrar, fugidios que são...
Um desejo enorme de ter o que anseio e uma vontade de fugir a esta realidade em que vivo...
Não que me queixe, mas farto-me da falta de emoções que me dedicam...
Se as há, desconheço... Se existem, bem escondidas estão, pois por muito que procure elas não vem ter comigo... Estou cansada de esperar por quem não volta e sem muito ânimo para me lançar em aventuras irreais...
O passado já vai longe, e embora exista ainda um fio condutor que me possa guiar para uma re-descoberta, a confiança abalada faz-me parar no tempo...
Nem o presente pareço apreciar como devia...
Existem comportamentos que não entendo, avanços e recuos que se esvanecem no ar e a minha visão nesse campo vai ficando cada vez mais turva...
Enganos e desenganos dos últimos tempos fazem de mim uma incógnita...
Sei que quero algo, mas não sei definir bem o quê...
Nada disto é triste, é pura e simplesmente estranho, para alguém que sempre lutou por tudo. Baixar a guarda é-me de momento impensável... Não é uma coisa que consiga controlar, sinto-me fria e pronto. O que vier, virá... Depois vê-se, depois penso nisso...

Por enquanto, todo o meu eu, uma incógnita...



2 comments:

zetrolha said...

Ó moça andas tão deprimente,foda-se!Aponta:"nunca fumar uma ganza com o teclado por perto".Espero ter contribuído para levantar a tua moral.Sabes bem,que às vezes o "Abre-Olhos" usa palavras rudes,mas são palavras do fundo do coração.

Fallen, The Countess said...

Fodasse!!Tens razão caralho! O passado já lá vai... Beijoca, ó trolha, e obrigada pelo abre-latas do sentimento!!;)