Wednesday, August 22, 2007

Passagem das Horas


« Nada me prende, a nada me ligo, a nada pertenço.

Todas as sensações me tomam e nenhuma me fica.
Sou mais variado que uma multidão de acaso,
Sou mais diverso que o universo espontâneo,
Todas as épocas me pertencem um momento,
Todas as almas um momento tiveram seu lugar em mim.
Fluído de intuições, rio de supor-mes,
Sempre ondas sucessivas,
Sempre o mar - a àgua desconhecendo-se,
Sempre separando-se de mim, indefinidamente (...)

(...) Cruzo os braços sobre a mesa, ponho a cabeça sobre os braços,
E preciso querer chorar, mas não sei ir buscar as lágrimas...
Por mais que me esforce por ter uma grande pena de mim, não choro,
Tenho a alma rachada sob o indicador curvo que lhe toca...
Que há-de ser de mim? Que há-de ser de mim? (...) » , Álvaro de Campos

Tento, mas não sou capaz... As lágrimas secaram faz tanto tempo... Sinto-me vazia de grandes emoções... Na minha mente, a cada fechar de olhos, apenas a visão constante de momentos de prazer... Mas emoções, onde estão elas? Que me fizeram que mas secaram? Como fui capaz de deixar queimarem em mim a minha meninez, a minha inocência...? Como conseguiram arrancar de mim o que eu tinha de melhor, de mais puro? Como deixei eu isso acontecer?

Só estou bem quando ouço música, e nem então...
Onde estais vós que eu quero chorar de qualquer maneira?


Por enquanto,
Raindrops , Tuulenkaato and Seitsensarvi in my mind...


3 comments:

Heart said...

Tenhi e Dornenreich?

Fallen, The Countess said...

Mas é claro! Vocemessê tb conhece?

Heart said...

Aos anos :)